A carreira de detetive levanta muitas curiosidades que podem ser decifradas com experiências divertidas e educativas. 

Uma profissão cercada de mistério e aventura com certeza foi o sonho de muitas crianças. Retratados nos cinemas, nos desenhos animados e na literatura como heróis, os detetives particulares da vida real podem não ter o mesmo reconhecimento, mas também são bem treinados e capazes de resolver qualquer situação.

Na infância, as crianças desejam ter as mesmas habilidades que seus ídolos, e elas podem, mas não no ambiente profissional, é claro. Com jogos, aplicativos e videogames, qualquer criança, e até mesmo os adultos, podem investigar as pistas, usar equipamentos com tecnologia de ponta e se infiltrar nos confins do território para descobrir os segredos escondidos.

A seguir, 9 maneiras de se disfarçar e se sentir como um detetive de verdade.

  1. O clássico papelzinho

Quando os celulares e smartphones ainda não eram tão populares, era comum brincar de detetive no papel. Para jogar, é só reunir a maior quantidade possível de pessoas, pois quanto mais gente, mais difícil fica, e anotar em pequenos pedaços de papel os seguintes personagens: detetive, ladrão e vítima. Feito o sorteio, sem que ninguém saiba o papel do outro, o “ladrão” deve dar uma piscada discreta para que a “vítima” saia da brincadeira, enquanto o “detetive” precisa descobrir quem é quem antes de não sobrar mais ninguém no jogo.

Veja também:

Como aprender (quase) qualquer coisa online e gratuitamente

Conheça os quatros smartphones mais caros do Brasil

8 profissões mais perigosas do mundo

Coisas bizarras que fãs fizeram por amor às celebridades

  1. Esconde-esconde

Nessa clássica brincadeira das crianças, um participante fecha os olhos e conta até dez, enquanto os demais se escondem ao redor. O responsável por encontrá-los terá uma missão semelhante a um detetive profissional: procurar evidências para decifrar o paradeiro dos demais. Pés visíveis embaixo da cortina, sons de risos atrás da porta e odores conhecidos dos amigos podem ser uma pista de que eles estão por perto.

  1. No tabuleiro

O jogo Detetive, da fabricante Estrela, é mais uma tradição das reuniões infantis. Aqui, a tarefa é desvendar o local, a arma e o responsável pelo crime de um personagem fictício, o Sr. Carlos Fortuna. A cada rodada, os jogadores vão eliminando algumas possibilidades para o crime, até restarem pouquíssimas opções. O primeiro participante que descobrir a verdade que está contida no envelope secreto vence o jogo.

  1. Tabuleiro do Sherlock Holmes

Scotland Yard é um jogo da fabricante Grow e simula processos de investigação usados pelos investigadores de verdade. O jogador se transforma no detetive mais famoso do mundo, Sherlock Holmes, para desvendar os mistérios das ruas de Londres. A cada pista encontrada, é necessário anotar as todas as deduções no famoso bloquinho de papel do detetive, pois os fatos ajudarão a revelar os casos.

  1. Mais um de tabuleiro

Em mais um jogo de tabuleiro da Estrela, no Cara a Cara, os iniciantes no mundo do mistério podem treinar suas habilidades para um interrogatório. Para descobrir quem é o personagem que o adversário tirou na carta, só valem as perguntas cujas respostas são sim ou não. As perguntas certas e o raciocínio lógico permitem eliminar as possibilidades que não atendem aos requisitos e quem desvendar o personagem alheio primeiro é o vencedor.

  1. Cadê Wally?

O mundialmente famoso personagem Wally, de Onde está Wally?, vai testar até mesmo os olhos atentos dos profissionais mais treinados na hora de encontrá-lo. O garoto de camisa e chapéu listrados de azul e branco, calça azul e óculos redondos pode parecer fácil de achar no mundo real, mas, nas páginas das revistas, no aplicativo para celular e até mesmo nos chinelos de dedo, Wally está cercado por centenas de objetos e de pessoas.

Com o sucesso obtido pelo ilustrador britânico Martin Handford, outros personagens frequentes foram adicionados ao desafio, como uma irmã gêmea, um vilão e o cão Woof.

  1. Max Payne

No mundo dos videogames, Max Payne é um detetive da polícia que procura o assassino que exterminou sua família. O jogador assume o papel do personagem que dá título ao game nesta caçada em meio a tiroteios, quebra cabeças e analgésicos.

O que muitos fãs deste game gostam é o efeito bullet time, que retarda a passagem do tempo e permite ver detalhes que geralmente aconteceriam em alta velocidade em câmera lenta, a olho nu.

  1. Carmen Sandiego

Nos desenhos animados, no videogame ou nos smartphones, a ladra perseguida por dois aspirantes a detetives pode estar em qualquer lugar do mundo. O sucesso desta mulher de vermelho se dá devido à capacidade de ensinar conhecimentos gerais a todas as idades. Como a vilã é procurada em diversos países diferentes, o conteúdo explica também um pouco do idioma, de matemática e também perguntas e respostas sobre o local da vez.

  1. Disfarce divertido

Uma das principais habilidades de um bom detetive é saber se disfarçar. Por isso, fantasiar-se ou usar roupas de diferentes estilos podem ajudar na hora de espionar alguém.

As fantasias são ótimas opções para inspirar bons disfarces. Óculos, bigode, chapéu, casaco, bolsas… Tudo é válido para não ser reconhecido por alguém. No entanto, é preciso ter cautela para não chamar muita atenção com roupas extravagantes ou que não sejam compatíveis com o ambiente, pois os demais podem desconfiar de comportamentos suspeitos.

A vontade de ser um mestre da inteligência pode estar presente em todas as fases da vida. A rotina de um detetive exige muita prática, mas, mesmo que não seja possível apostar na profissão, alguns jogos podem despertar o espírito investigador e proporcionar experiências semelhantes às que um profissional passa, mas, pelo lado bom, sem ter que contar notícias ruins aos envolvidos nos casos em que atua.

curso de bateria online - bruno graveto

DEIXE UMA RESPOSTA

sete + 19 =