Hoje em dia, falar inglês no mundo dos negócios nem é mais um diferencial: é uma necessidade. O inglês é a língua universal da comunicação no mundo globalizado dos negócios. Seu domínio é importante não só pelo número de países que têm o inglês como língua nativa, mas também por ser a principal ferramenta de comunicação entre falantes de línguas diferentes. Pense, por exemplo, em um comerciante turco negociando com um cliente brasileiro: eles, certamente, se comunicarão em inglês, e não em turco nem em português.

E como decidir entre estudar inglês americano ou britânico? Pense em qual variante será mais útil no seu caso e qual das duas você terá mais facilidade em aprender. Continue lendo o nosso post para conhecer algumas diferenças significativas entre as duas!

1. Diferenças de vocabulário

Algumas palavras no português brasileiro têm significados diferentes em Portugal, certo? O mesmo acontece entre o inglês americano e o inglês britânico. Um exemplo é “rubber”, que no inglês britânico significa borracha mas, nos Estados Unidos, significa “camisinha”. O termo americano para borracha é “eraser”.

Veja também:

Tradutor – 6 aplicativos gratuitos que fazem você falar inglês

Japonês, um idioma que também abre grande oportunidades

Dê uma olhada em mais alguns exemplos de palavras que variam do inglês britânico para o americano, respectivamente:

  • batata frita: chips/french fries;
  • biscoito: biscuit/cookie;
  • caminhão: lorry/truck;
  • elevador: lift/elevator;
  • férias: holiday/vacation;
  • fralda: nappy/diaper;
  • futebol: football/soccer;
  • gasolina: petrol/gas;
  • metrô: tube ou underground/subway;
  • outono: autumn/fall;
  • porta-malas: boot/trunk.

2. Ortografia

Palavras terminadas em “our”, no inglês britânico, perdem o “u” e são escritas com “or” no inglês americano. Alguns exemplos são “comportamento” (behaviour/behavior), “cor” (colour/color), “honra” (honour/honor) e “vizinho” (neighbour/neighbor).

Já palavras terminadas com “is” no inglês britânico são escritas com z no americano. É o caso de “analisar” (analyse/analyze), “reconhecer” (recognise/recognize), e “organizar” (organise/organize).

Uma variação semelhante acontece com palavras terminadas em “re” em sua versão britânica, que são escritas com “re” nos Estados Unidos: “centro” (centre/center), “teatro” (theatre/theater) e “fibra” (fibre/fiber).

3. Diferenças em alguns tempos verbais

Para falar de ações passadas, os britânicos preferem o tempo verbal chamado de present perfect, enquanto o passado simples é mais comum no inglês americano, apesar de ambas as formas serem aceitas nos dois países. Em vez de “have you phoned her yet?”, a maneira como os britânicos perguntariam “você já telefonou para ela?”, os americanos diriam “did you call her yet?”.

Alguns verbos aceitam duas formas para o passado simples tanto no inglês americano quanto no britânico, mas a forma irregular é mais comum no inglês britânico. É o caso de palavras como “queimou” (burt/burned) e “aprendeu” (learnt/learned).

4. Uso de preposições

Também quanto ao uso de algumas preposições, as preferências diferem entre americanos e britânicos. No inglês americano a preposição mais comum para dizer “no fim de semana”, por exemplo, é “on the weekend”; já no britânico, “at the weekend”.

5. Diferenças de pronúncia

Diferenças de pronúncia notam-se não só entre o inglês americano e britânico, mas também entre diferentes regiões e classes sociais. O inglês falado por pessoas mais instruídas tende a ser mais neutro e livre de sotaques. Preste atenção em discursos do presidente americano Barak Obama e do primeiro-ministro britânico David Cameron e você verá que ambos falam um inglês mais neutro, quase sem sotaque.

Em termos de pronúncia, algumas diferenças são mais perceptíveis entre as duas variantes:

  • no inglês britânico, normalmente a letra R no meio ou final de palavras como “inform”, “car”, “never” e “better” não é pronunciada acentuadamente, a não ser que seja seguida de vogal;
  • no inglês americano, a letra T no meio de palavras como “little”, “water” e “Peter” soam mais como um D rápido;
  • a sílaba tônica difere em algumas palavras: “adult”, garage, brochure (inglês britânico) e adult, garage, brochure (inglês americano).

Gostou de conhecer algumas diferenças entre inglês americano e britânico? Deixe seus comentários no post e nos conte qual dos dois você prefere! E siga a Proddigital Idiomas no Twitter.



DEIXE UMA RESPOSTA

2 × 2 =