Hoje em dia, cada vez são mais as empresas que apostam no e-commerce como meio de venda direta e contacto mais próximo com o seu público-alvo. Com o constante desenvolvimento da tecnologia é bastante simples que qualquer empresa chegue facilmente ao contato com os seus clientes e potenciais clientes.

Nesta matéria vamos explicar-lhe tudo o que precisa de saber sobre o e-commerce assim como os melhores sites para começar já a construir a sua plataforma de comércio eletrônico.

O que é um e-commerce?

Comércio eletrônico ou e-Commerce é um conceito aplicável a qualquer tipo de negócio ou transação comercial que implique a transferência de informação através da Internet. Abrange uma gama de diferentes tipos de negócios, desde sites de retalho destinado a consumidores, a sites de leilões, passando por comércio de bens e serviços entre organizações.

E-commerce é atualmente um dos mais importantes fenômenos da Internet em crescimento. O e-commerce permite que os consumidores transacionem bens e serviços eletronicamente sem barreiras de tempo ou distância.

O comércio eletrônico expandiu-se rapidamente nos últimos anos e prevê-se que continue expandir-se com a mesma taxa de crescimento ou mesmo que haja uma aceleração do mesmo. Brevemente as fronteiras entre comércio “convencional” e “eletrónico” tenderão a esbater-se, pois cada vez mais negócios deslocam secções inteiras das suas operações para a Internet.

Quem inicia uma loja online deverá ter em consideração aspectos básicos, mas determinantes para o sucesso do negócio, nomeadamente:

  • Definição clara do produto e/ou serviço e a sua disponibilidade imediata ou num prazo definido online, normalmente dirigido a um nicho bem definido;
  • Atenção aos aspetos logísticos do negócio, muito importantes em determinado tipo de bens;
  • Formas de pagamento disponíveis e os eventuais problemas de segurança que se colocam;
  • Estratégia de webmarketing clara que permita conduzir tráfego qualificado para a loja.

Veja também:

Dicas para Aumentar o Tráfego com marketing digital

Tipos de e-commerce

E importante salientar que nem todos os negócios são realizados entre empresa e consumidor (B2C – Business to Consumer), sendo que existem outras tipologias, como as seguintes:

  • Business-To-Business (B2B)

Os negócios B2B permitem centenas ou milhares de transações seja como clientes seja como fornecedores. Levar a cabo estas transações eletronicamente proporciona amplas vantagens competitivas sobre os métodos tradicionais. Quando devidamente implementado, o e-commerce é mais rápido, mais barato e mais conveniente do que os métodos tradicionais de transação de bens e serviços.

A estratégia para criar uma loja online de sucesso pode ser dificultada se não forem respeitados certos princípios e se for esquecido o que é suposto ser o e-commerce em negócios online.

O comércio B2B desenvolve-se, basicamente, em três grandes áreas: o e-Marketplace, o e-Procurement e o e-Distribution.

Os e-Marketplaces consistem em plataformas eletrônicas onde as empresas, ora assumindo a posição de comprador, ora a de vendedor, se reúnem à volta de um mesmo objetivo: estabelecer laços comerciais entre si. Estes mercados digitais podem assumir uma forma vertical, quando apenas são frequentados por empresas de uma indústria específica.

Os e-Procurements são plataformas eletrônicas especificamente desenvolvidas para suportar o aprovisionamento das organizações, permitindo que estas otimizem cadeia de fornecimento em termos de tempo e de custos, através da automatização das interações com as centrais de compras dos seus fornecedores

Os e-Distributions consistem em plataformas eletrónicas concebidas para integrar as empresas com os seus distribuidores, filiais e representantes, permitindo efetuar uma variedade de tarefas, desde uma simples consulta a um catálogo eletrónico até à emissão de faturas e receção de mercadorias.

Veja também:

Farejador de Nota Fiscal Eletrônica (NF-e) TradClass

eBook – Conceitos de Business Intelligence – Guia Definitivo

  • Business-to-Consumer (B2C)

Business-to-Consumer corresponde ao tipo de transação estabelecida entre uma organização/empresa e o consumidor final. Este tipo de relação pode ser frequente e dinâmico ou esporádico e pontual, dependendo do tipo de CRM que a entidade prestadora do bem/serviço praticar.

Este tipo de comércio tem-se desenvolvido bastante devido ao advento da web, existindo já várias lojas virtuais e centros comerciais na Internet que comercializam todo o tipo de bens de consumo, tais como computadores, software, livros, CDs, automóveis, produtos alimentares, produtos financeiros, publicações digitais, etc..

Quando comparado com uma situação de compra a retalho no comércio tradicional, o consumidor tem mais informação ao seu alcance e passa por uma experiência de compra potencialmente muito mais agradável e confortável, sem prejuízo de obter, muitas vezes, um atendimento igualmente personalizado e de assegurar a rapidez na concretização do seu pedido.

  • Business-To-Administration (B2A)ou Business-To-Government (B2G)

Esta categoria do comércio eletrónico cobre todas as transações online realizadas entre as empresas e a Administração Pública. Esta é uma área que envolve uma grande quantidade e diversidade de serviços, designadamente nas áreas fiscal, da segurança social, do emprego, dos registos e notariado, etc. Este segmento tende a aumentar rapidamente, nomeadamente com a promoção do comércio eletrônico na Administração Pública e com os mais recentes investimentos no e-government.

  • Consumer-To-Administration (C2A) ou Consumer-To-Government (C2G)

O modelo Consumer-to-Government abrange todas as transações eletrônicas efetuadas entre os indivíduos e a Administração Pública. Entre as várias áreas de aplicação, salienta-se a segurança social (através da divulgação de informação, realização de pagamentos, etc.), a saúde (marcação de consultas, informação sobre doenças, pagamento de serviços de saúde, etc.), a educação (divulgação de informação, formação à distância, etc.) e os impostos (entrega das declarações, pagamentos, etc.).

Ambos os modelos que envolvem a Administração Pública (B2A e C2A) estão fortemente associados à ideia de modernização, agilização, transparência e qualidade do serviço público, aspetos cada vez mais realçados pela generalidade das entidades governamentais.

O que é um carrinho de compras e pra que servem no e-commerce?

O carrinho de compras é o sistema da loja online. É um software. O software de carrinho de compras (ou shopping cart) é um sistema informático usado para permitir que consumidores comprem bens e serviços, acompanhar clientes, e integrar todos os aspetos do e-Commerce num só dispositivo.

Existem inúmeros tipos de software no mercado que, após uma customização de acordo com a organização, permite métodos relativamente económicos para construir, editar e manter uma loja online.

Existem muitas diferenças entre um carrinho de e-commerce um carrinho de supermercado padrão. Na loja online o cliente vê um produto que lhe interessa, coloca-o num cesto de compras virtual, e quando terminou a sua visita, procede ao ‘checkout’ completando a sua transação fornecendo os seus dados para pagamento. Os únicos atos materiais requeridos ao cliente são que pressione algumas teclas e pouco mais…

No supermercado, para além de ter tido de se deslocar lá, tem de carregar os produtos 6 (seis) vezes, a saber:

  1. Das prateleiras para o carrinho de compras;
  2. Do carrinho de compras para o caixa de pagamento;
  3. Do caixa para o carrinho de compras;
  4. Do carrinho de compras para o bagageiro do carro;
  5. Do bagageiro para cozinha;
  6. Da cozinha para as prateleiras;

e-commerce - mobile - crescimentoO e-commerce no Brasil

Mais de 20 milhões de pessoas acessaram uma loja online em 2009, um número de expressão, mesmo levando em conta que dos 21 somente 12 milhões efetuaram uma compra (muitos ainda utilizam sites de loja para fazerem pesquisas de preços).

E por que isso? De acordo com uma pesquisa feita pelo Datapopular mostrou que 61% dos internautas de baixa renda costumam conferir os produtos em lojas físicas antes de fechar a transação pela internet, ou tem medo de cometerem um erro no momento da compra e não encontram garantias nos comerciantes virtuais atualmente, que façam eles transitarem da compra em loja física para a virtual.

A insegurança ainda é um obstáculo que o e-commerce esbarra quando se trata do brasileiro de menor poder aquisitivo. Mesmo assim o Brasil é o segundo país com maior índice de preocupação com transações financeiras online, ficando atrás apenas da Alemanha, e a frente de grandes potências econômicas como os USA em estudo foi feito pela Unisys. Em uma escala de 0 a 300, onde 0 representa a não preocupação com a segurança e 300 preocupação elevada, o Brasil obteve 146 pontos (Alemanha ficou com 156 e o México, terceiro lugar, com 141).

No final de 2010, houve um recorde nas vendas de produtos online, mais de 35% de crescimento em relação ao ano anterior.

Até 2014 serão mais de 45 mil lojas virtuais no Brasil sendo que dessas, apenas 30% são ativas, ou seja, realizam mais de dez vendas por mês. O alto número de lojas virtuais inativas se dá principalmente devido à facilidade e ao baixo custo de se abrir uma loja virtual, o que atrai muitos aventureiros e empreendedores sem planejamento. Em 2014, o faturamento do comércio eletrônico no Brasil atingiu quase R$ 36 bilhões.

Veja também:

O que Esperar do Comércio Eletrônico em 2016

Como começar um negócio online

Para começar um negócio online é melhor encontrar um produto de nicho que os consumidores tenham dificuldade em encontrar em centros comerciais ou grandes armazéns comerciais.

Depois pode optar-se entre fazer um site próprio para e-commerce a partir do zero ou adaptar a um site já existente uma seção de loja online através dum software próprio.
Também é importante ter em consideração o aspeto da expedição. Para diversos tipos de mercadoria o processo logístico associado à entrega é um problema, como por exemplo as garrafas de vinho, enquanto outros tipos não carecem de cuidados especiais no seu manuseamento, como é o caso dos livros ou DVD’s.

Veja esse guia completo com 11 passos definitivos para montar um loja virtual.

O passo seguinte…

O passo seguinte consiste em ativar e instalar os métodos de pagamento online. Habitualmente o processo mais simples é criar uma conta comercial em serviços de pagamento online (gateways de pagamento). O mais popular é o PayPal.

Last but not least…

Finalmente será necessária uma estratégia de webmarketing para conduzir tráfego qualificado à loja online e para seduzir os clientes a repetirem a compra sempre que tiverem necessidade dos nossos produtos.

Manter as coisas simples é normalmente um procedimento sensato para quem se inicia no e-Commerce.
O e-Commerce pode ser uma atividade muito gratificante, mas não se pode ganhar dinheiro do dia para a noite. É importante fazer muita pesquisa, fazer perguntas, trabalhar intensamente e tomar decisões de negócio sobre os factos aprendidos com a pesquisa e estudo efetuados.

Plataformas de e-commerce que pode abrir

Existem centenas de sites onde você pode criar conta e abrir a sua loja de comércio eletrônico. Vamos dar-lhe 10 exemplos que são bastante bem cotados.

1 – BSeller

O [B] Seller é a única ferramenta completa de verdade do mercado, porque reúne webstore e backoffice em um só lugar. A solução, endossada pela tecnologia e expertise da B2W Digital, é projetada para atender em alto nível às demandas de lojas de todos os tamanhos.

2 – Ciashop

Uma empresa com mais de 15 anos de experiência em e-commerce e pertence ao grupo TOTVS, empresa de softwares, serviços e tecnologia, líder absoluta no Brasil.

3 – Dotstore

A Dotstore é uma plataforma de e-commerce com mais de 9 anos de mercado, totalmente omnichannel, com um ambiente para vendas no mobile nota máxima em usabilidade pelo Google e integrada a todos os principais marketplaces do mercado, conta com mais de 1000 clientes ativos em sua plataforma.

4 – EZ Commerce

A EZ Commerce é uma empresa de tecnologia especializada em comércio eletrônico, com a experiência de 8 anos de mercado e mais de 500 lojas implantadas.

5 – F1 Soluções

Desde 2002 atuando no mercado de internet, a F1 Soluções desenvolve plataforma de e-commerce para clientes dos mais diferentes portes e nichos de mercado. As plataformas F1 Soluções estão em constante evolução, sempre focados no desempenho, conversão e com a segurança.

6 – Infracommerce – Full Service em e-commerce

A mais completa e eficiente solução de Full Service para e-commerce no Brasil. A Infracommerce oferece a mais completa solução para E-commerce com toda a gestão e integração dos processos em um só lugar.

7 – JET e-commerce

A JET é uma plataforma de e-commerce escalável e flexível com alta performance, alto nível de customização, segurança de infraestrutura e evolução contínua. A JET Retail Services oferece grade completa de serviços de full commerce: desenvolvimento e criação de layout, implantação da loja, consultoria, gestão operacional, logística, transporte, SAC, pós-venda, financeira e marketing digital.

8 – Rakuten

A Rakuten é uma das maiores empresas de Internet Globais, com mais de 10.000 funcionários no mundo. No Brasil, mantém seu propósito em capacitar as pessoas, as empresas e a sociedade para o sucesso através da Internet oferecendo a mais alta tecnologia em plataformas de e-commerce.

9 – VTEX

A VTEX é líder em tecnologia para o comércio eletrônico e pioneira na comercialização de software como serviço (SaaS) na América Latina. As soluções da VTEX são voltadas para lojas virtuais que tenham fluxo de pequeno, médio e grande porte, independentemente do segmento.

10 – 00K e-business tools

O 00K foi fundado em Março de 2012 com o objetivo de fomentar os negócios online, por intermédio da utilização de ferramentas integradas e análise comportamental de seu cliente ao visitar o seu website, potencializando assim a divulgação de produtos para massificar a comunicação e o consumo.

E aí… que tal começar hoje mesmo a planejar a abertura da sua loja virtual?

Veja também?

Formula Negocio Online – Aprenda como montar um negocio online altamente rentável e multiplicável

Quer abrir um negócio? Confira antes essas 8 dicas

MSV – Método Segredos da Venda

Publicidade

montar um negócio na internet



DEIXE UMA RESPOSTA

4 + treze =