A música brasileira possui um arsenal rico, pois grandes nomes conhecidos mundialmente fizeram ou ainda fazem parte da história do país. Por isso, hoje decidimos mostrar um pouco a biografia de um dos maiores ícones que introduziu o Soul no Brasil, Tim Maia.

Tim Maia:

Sebastião Rodrigues Maia, mais conhecido como Tim Maia, nasceu no bairro da Tijuca na cidade do Rio de Janeiro em 28 de setembro de 1942. Teve uma infância pobre junto com seus pais e onze irmãos, sendo o caçula da família, viveu em um cortiço na zona norte carioca.

Para contribuir financeiramente no orçamento familiar, Tim Maia, passou a vender marmitas pelas ruas de seu bairro. Foi aos 8 anos de idade que a música entrou em sua vida, pois passou a fazer parte do coral da igreja e, ao completar 12 anos, Tim ganhou seu primeiro violão de seu pai, Altivo Maia.

Início da carreira:

Sua carreira musical começou quando ainda era criança. Ele tocava bateria no grupo chamado de Tijucanos do Ritmo, criado na igreja perto de sua casa.

Em 1957, fundou o conjunto vocal The Sputniks, do qual participaram Roberto Carlos, Arlênio Silva, Wellington e Edson Trindade. Com o fim do grupo, Tim e Roberto Carlos criaram o The Snakes, o qual teve como integrante Erasmo Carlos. Foi em 1959, que Tim Maia resolveu ir para os Estados Unidos, onde conheceu o ritmo que o consagrou no cenário musical, o Soul. Nessa época, ele passou a ser chamado de Jim e fez parte do The Ideals.

Tim gravou o álbum “A Onda É o Boogaloo” em 1968, e foi a partir desta gravação que o Soul Music foi ingressado na Jovem Guarda.

Anos 70:

Foi neste ano que Tim gravou seu primeiro long-play intitulado “Tim Maia” por indicação da banda Os Mutantes. Após o lançamento, ele gravou durante três anos discos que consagraram canções como “Não quero dinheiro” e “Gostava tanto de Você”. Ainda em 1970, Tim conheceu a doutrina Cultura Racional, liderada por Manuel Jacinto Coelho.

Fase Cultura Racional:

Na época, Tim Maia lançou alguns álbuns, levando o nome da sua doutrina e um pouco da filosofia pregada. Foi então que surgiram grandes pérolas como “Imunização Racional”. Muitos consideram estes discos os melhores da carreira do cantor, já que durante sua passagem pela doutrina, ele se manteve longe das drogas e do álcool, refletindo, assim, na qualidade de sua voz.

Sua passagem pela Cultura Racional não durou muito, pois ele se desencantou com o mestre Manuel. Revoltado, Tim Maia tirou seus discos de circulação, tornando-se, assim, itens de colecionador. Com o término de seu envolvimento na Cultura Racional, o cantor voltou a seu antigo estilo de vida e aos temas não religiosos.

Nos anos 2000, foi descoberta uma nova fase racional, com canções que ainda refletiam a cultura da doutrina.

Anos 80 e 90:

Ao gravar depois de seu afastamento com a filosofia de Manuel, Tim lançou grandes sucessos conhecidos mundialmente, no entanto, ele teve muitos problemas com as gravadoras, devido a sua forte personalidade. Foi então que, em 1990 ele fundou seu próprio selo denominado Seroma e, mais tarde, Vitória Régis Discos, onde passou a fazer seus lançamentos.

Vida pessoal:

Tim Maia teve muitas mulheres, no entanto, uma que se destacou em sua vida foi Maria de Jesus Gomes da Silva, conhecida como Geisa. Gostava da vida que leva junto ao seu amado, já que, por proibição de seu pai que não aceitava o relacionamento, ela fugiu de casa. No começou eles tiveram uma vida ao estilo hippie, viajando pelos Estados Unidos e pela Europa, porém com tempo, acabaram se separando por causa das constantes desavenças.

Durante o período de separação, Tim Maia entrou em depressão e se entregou ainda mais às drogas. Foi quando Geisa, desesperada, procurou por Tim, dizendo que estava grávida e sozinha. Devido à paixão e o sentimento de culpa por tê-la abandonada, eles reataram e o cantor adotou a criança como seu filho. Márcio Leonardo “Léo” Maia nasceu em 1974.

Após essa fase, o casal teve mais dois filhos, Carmelo Gomes Maia, também conhecido como Telmo, e José Carlos Gomes Maia, nascido em 1976. Nesta ocasião, Tim estava envolvido com uma seita e passou a compor canções religiosas. Após novamente ter se desintegrado da seita, e devido ao envolvimento com drogas e mulheres, Geisa se separou de Tim.

Durante a gravação de um show no Teatro Municipal de Niterói, Tim Maia passou mal e foi levado ao Hospital Universitário Antônio Pedro, onde faleceu no dia 15 de março de 1998, aos 55 anos e com 140 quilos, devido à infecção generalizada.

E você, é fã desse grande artista da música brasileira? Então deixe seu comentário abaixo sobre sua admiração por Tim Maia.

 



1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

20 + 14 =