A dança sempre fez parte da vida dos brasileiros. Seja qual for o ritmo, os corpos estão sempre balançando de um lado para outro em movimentos graciosos, se deliciando com a melodia da música. E um dos ritmos mais dançante e mais apreciado, atualmente, é o famoso estilo nordestino, o forró, conhecido também como xote.

Todos que gostam de dançar sentem uma atração mais forte pelo forró, afinal, é um estilo que permite bailar a dois, seguindo alguns passos que deixam o balancear mais divertido e atraente. Fato que encanta os dançarinos e permite mais desempenho de ambos. Sendo assim, este artigo irá apresentar o ritmo e toda história por trás do forró para que você possa entender a chegada do xote no resto do país.

O Forró:

O forró é um ritmo típico da região Nordeste do Brasil, muito apreciada pelos dançarinos de plantão. Se nome deriva de forrobodó que significa “divertimento pagodeiro”.

Em sua origem, ele era um baile animado que agrupava outros gêneros musicais da região como o baião, o xote (de influência portuguesa), o xaxado (de influência holandesa) e a quadrilha.

Outros termos usados para se dirigir ao forró são “arrasta-pé” ou “bate-chinela”, algumas vezes para diferenciar a melodia de outras canções. Outra palavra muita usada é o xote.

Estudiosos acreditam que a origem do nome forró é atribuída à palavra abrasileirada de “For All”, vindo dos ingleses que trabalhavam na linha de ferro Great Western.

O ritmo é semelhante ao toré e o bater dos índios como ritmo binários. Por isso, a dança é marcada pelas batidas leves que acompanham a melodia, marcando os passos a serem dados.

Apesar do forró “pé-de-serra”, existem outras variações que podem não ser tão comuns nas festas brasileiras, mas que certamente são conhecidas pela diferença rítmica musical. Tais variações são:

  • Forró elétrico:

    Vertente pós-moderna do forró da década de 90 que utiliza instrumentos eletrônicos em suas composições como a bateria, guitarra e contrabaixo. Esse ritmo passou a ser muito usado nos bailes animados do Brasil, agitando ainda mais a dança.

  • Forró universitário:

    Hoje é comum encontrarmos a palavra “universitária” associada a diversos estilos musicais como o sertanejo universitário. Esta linha musical surgiu na capital paulista e se trata de uma revitalização do forró tradicional. Muito comum em festas estudantis.

Apesar de ser tipicamente um estilo nordestino, o forró se espalhou pelo resto do país. Por isso, ele é encontrado em diversas festas sendo específicas ou não.

História e curiosidade do Forró:

Como foi dito anteriormente, a palavra se originou do termo forrobodó que por sua vez veio do vocábulo antigo galego-português forbodó. A dança passou a ser conhecida quando os ingleses promoviam bailes abertos ao público, onde surgiu à expressão “For All” já mencionada acima. A partir de então, os nordestinos pelo seu sotaque passaram a usar a palavras forró. Apesar desta versão, alguns acreditam que foram os estadunidenses que introduziram esse termo no Brasil na segunda guerra mundial.

Sabe-se que está segunda versão é contraditória já que a palavra referente a este ritmo já havia sido registrada em 1937, cinco anos antes da instalação da base militar.

O forró se tornou popular na região após a gravação da música “Forró de Mané Vito”, criada por Luiz Gonzaga com parceria de Zé Dantas. Após a imigração dos nordestinos ao resto do país, principalmente às capitais, o ritmo foi se espalhando e atingido as outras cidades.

Principais características do “pé-de-serra”:

Apesar de existirem variações, o forró nordestino se diferencia dos demais devido a malicia e a sensualidade da dança. Executada em par, ele exige uma cumplicidade mais afetiva do casal.

Nos dias atuais é normal os parceiros incrementarem os movimentos das outras vertentes ao xote nordestino, deixando a dança ainda mais completa, pois o forró universitário, por exemplo, possui mais evolução nos passos, acrescentando mais giros e caminhadas para frente e para trás.

Independente do ritmo e da melodia, o forró sempre fará parte dos brasileiros, pois é um estilo que permite uma proximidade dos parceiros, deixando os corpos mais unidos seguindo sempre a mesma composição. A dança é conduzida pelo homem, enquanto a mulher marca os passos e acompanha seu parceiro pelo salão.

E você, sabe dançar forró? Diga nos comentários abaixo o quanto você gosta de dançar agarradinho.

curso de bateria online - bruno graveto
OFERTAS DE FINAL DE ANO
3x de R$ 106,00 sem juros


4x de R$ 104,75 sem juros


De: R$ 289 Por: R$ 229



2x de R$ 59,50 sem juros


De: R$ 369 Por: R$ 179,90


De: R$ 15,5 Por: R$ 9,90




DEIXE UMA RESPOSTA

treze − cinco =