Dentre todas as bandas que surgiram no Brasil, existem aquelas que conquistaram mais espaço e mais fãs. Este é o caso de uma das bandas mais influentes do rock brasileira que percorreu uma trajetória promovida de sucessos, encontros e muitos conflitos, Os Mutantes. Se você é um admirador da música nacional, então acompanhe este artigo até o fim e conheça mais sobre a história deste grupo musical.

Curta a Proddigital Música no Facebook >>>

A origem dos Mutantes:

O começo da banda ocorreu, no ano de 1964, quando os irmãos, Arnaldo Baptista e Cláudio César Dias Baptista juntaram com Raphael Vilardi e Roberto Loyola e fundaram o grupo “The Wooden Faces”. Algum tempo depois, cerca de 1 ano mais tarde, eles conhecerem a cantora Rita Lee que, naquela época, fazia parte do conjunto “Teenage Singers”, e a convidaram para ser uma integrante da banda. Além deste grupo, o caçula da família Baptista também fez parte da formação dos Mutantes.

No começo, eles resolveram mudar o nome do conjunto para “Six Sided Rockers”, algum tempo depois, mudaram para “O Conjunto e O’Seis”.

Em 1966, eles gravaram compactos simples para a gravadora Continental, contudo, venderam menos de duzentas cópias. Neste mesmo ano, Cláudio César, Raphael e Roberto deixaram o grupo. Dessa forma, os integrantes remanescentes resolveram trocar, mais uma vez, o nome da banda, passando a se chamar “Os Mutantes”.

No dia 15 de outubro de 1966, a banda estreou no programa “O Pequeno Mundo de Ronnie Von” que era transmitida pela TV Record, comandado pelo cantor da Jovem Guarda. O sucesso foi tanto que, Os Mutantes, passaram a fazer parte fixa do elenco do programa. Chegaram a participar das gravações do LP Ronnie Von – n◦ 3.

Os Mutantes e os Tropicalistas:

No início de 1967 ocorreram algumas mudanças na direção artísticas do programa, reduzindo, assim, a participação dos Mutantes, isso fez com que a banda saísse definitivamente da Record. Depois de receberem o convite da Rede Bandeirantes, o grupo participou do programa “Quadrado e Redondo” apresentado por Sérgio Galvão.  Nessa ocasião, o trio conheceu o maestro, Rogério Duprat, que teve papel fundamental na história da banda.

Foi através dele que Os Mutantes passaram a participar de grandes festivais da música popular brasileira. Depois de muito ensaio e pela indicação de Duprat, a banda participou da gravação de músicas criadas por Gilberto Gil e canta por Nana Caymmi, inscritas no III Festival da Música Popular Brasileira, da TV Record. Assim, Os Mutantes se aproximaram do movimento tropicalista.

Veja também:

Rock in Rio – o maior festival de música da América Latina

Woodstock – Conheça um pouco a história de um dos mais conhecidos festivais de música do mundo

No ano de 1968, finalmente o grupo assinou um contratado com a gravadora Polydor e, assim, foi lançado o primeiro álbum intitulado, Os Mutante, algo inovador e experimental. Neste ano, o trio chegou a gravar ao lado de vários artistas de Tropicália: ou Panis et Circencis. Ainda participou de duas sequências de “As Amorosas” filmadas e dirigidas por Walter Hugo Khouri.

Em setembro, a banda fez parte do III Festival Internacional da Canção, promovida pela Rede Globo, chegou a acompanhar Caetano Veloso em uma das apresentações do cantor neste festival. Depois disso, a banda foi crescendo e fez diversas apresentações em festivais e parceiras que consagraram ainda mais o nome Mutantes.

Nos anos seguintes, o grupo fez turnê internacional. Em 1969, participaram, pela última vez, de um show com Caetano E Gil, onde ocorreu o incidente com a bandeira do Brasil, supostamente desrespeitadas pela visão dos militares daquela época. No mesmo ano, lançaram o espetáculo Planeta dos Mutantes, misturando música, cenas bizarras e psicodelia, se livrando do estilo tropicália, mostrando suas influências do rock.

Anos 70:

Em março deste ano, foi lançado “A Divina Comédia ou Ando Meio Desligado”, considerado um marco na carreira destes artistas.

No ano seguinte, a banda foi contratada pela Rede Globo para ser uma das atrações fixas do programa Som Livre Exportações. No dia 30 de dezembro, Rita e Arnaldo se casaram. Anos mais tarde Rita disse que o casamento foi armado para conquistar independência dos pais e que isso fez com que os irmãos se interessassem pelo mesmo objetivo, disputando no palitinho quem assinaria os papeis.

Ao voltarem da lua de mel, o casal rasgaria a certidão no programa da Hebe Camargo, demonstram o fim do curto relacionamento entre os cantores.



1 COMENTÁRIO

  1. Tenho todos os discos dos mutantes. Sou fã de carterinha. Parabéns por resgatarem a memória dessa banda que muito sucesso no Brasil.

DEIXE UMA RESPOSTA

dezoito + 1 =