Paciência e dedicação. Basicamente, esses são os dois atributos que alguém precisa ter para conseguir se dar bem na profissão de baterista. Normalmente, quando falamos com músicos, é comum ouvir comentários sobre uma prática diária de 8, 10 ou até mais horas por dia, ou seja, é muito tempo em cima do instrumento, experimentando, tentando e se superando.

Mas a verdade é que o som de uma batera ritmizada deixa qualquer um emocionado e não tem como não se mexer junto com as pancadas das baquetas. É um instrumento que qualquer um deveria aprender a tocar, nem que fosse somente por diversão.

Embora pareça fácil se tornar um bom baterista, a verdade é que esse processo de prática, paciência, dedicação e vontade de fazer sempre mais leva um tempo, que a maioria das pessoas não estão dispostas a dedicar, preferindo ficar na zona de conforto, fazendo o básico e se contentando com o mediano. Essa é uma realidade triste mas verdadeira: para fazer a diferença, é preciso ter o que a média não tem, ou seja, é preciso se dedicar.

 

Do que é feito um grande baterista?

Mas é claro que essa dedicação toda, apesar de ser um processo lento, pode apresentar muitos pontos relevantes de melhora que se torna perceptível. Às vezes será aquele ritmo que parecia difícil de tocar, outras vezes uma música rápida demais em que não conseguimos acompanhar o metrônomo e ainda existem os casos dos ritmos com contratempos, um dos detalhes que mais diferencia os grandes bateristas dos amadores, mas em todos esses casos, sempre teremos progressos lentos, mas marcos que farão a diferença em nosso estudo.

Outro ponto importante é o tipo de baterista que você pretende ser. Quer ter a técnica de pedal duplo de um Dave Lombardo ou a técnica de um Neil Peart? Talvez seu ritmo seja mais brasileiro, e você queira ter o domínio do instrumento de um Wilson das Neves. Ou, ainda, seu estilo pode ser mais fino, como o jazz de Buddy Rich ou mesmo a explosão dos grandes nomes do rock’n roll como John Bohan e Keith Moon. Independente do baterista que você quer ser, você precisa de inspiração, então veja os grandes nomes, saiba os ritmos que você gosta e depois tente se dedicar a tocar aquilo que os grandes bateristas fazem. Isso fará toda a diferença.

Estude com quem entende

Embora sempre seja possível conseguir aprender sozinho e inclusive progredir bastante, a verdade é que apenas com a experiência de alguém mais capacitado é que será possível ter uma boa introdução ao instrumento e também um bom aperfeiçoamento. Ou seja, sempre será necessário um bom professor para ser um bom músico.

É claro que em alguns casos, um bom professor está fora de cogitação por causa do preço das aulas e, para isso, uma boa saída podem ser os cursos online, onde conseguimos ter a explicação de assuntos bem importantes e ainda contar com aulas de grandes músicos, nacionais e internacionais, explicando como fazer alguns ritmos, algumas viradas e alguns detalhes que eles mesmos usam.

Portanto, comece sua dedicação investindo em algumas aulas. Depois, progrida com sua persistência em melhorar a cada dia. Não é garantido que você será o melhor baterista de todos, mas, pelo menos, você será melhor do que é agora.



DEIXE UMA RESPOSTA

9 + 18 =