A música faz parte da cultura brasileira. A cada década, o Brasil ficava mais rico musicalmente, através dos movimentos que surgiram anos atrás. Uma época que se superou em relação as canções nacionais foi a década de 60. Assim, um movimento que influenciou os músicos daquele ano e que ainda atinge as gerações até nos dias atuais foi o Tropicalismo. Por isso, hoje, vamos falar um pouco sobre este movimento e suas ações perante a sociedade.

O Tropicalismo:

O Tropicalismo, Tropicália ou Movimento tropicalista foi um movimento de ruptura que modificou a música popular brasileira nos anos de 1967 e 1968. Ele surgiu sob a influência da vanguarda e da cultura pop e foi criado com objetivos comportamentais. Apesar das manifestações, este movimento teve forte impacto, especialmente na música.

Os maiores representantes foram Caetano Veloso, Gilberto Gil, Gal Costa, Os Mutantes, Torquato Neto e Tom Zé, além da participação de outros nomes. Na época, além da música, houve manifestações de artes plásticas, cinema e do teatro. A canção de Caetano, “Tropicália”, mostra exatamente a importância do Tropicalismo para os cantores e para a sociedade.

Veja também:

Djavan – Conheça a história de um dos maiores compositores brasileiros

Nara Leão, a estrela a música popular brasileira

Conheça a história de Milton Nascimento, o cantor carioca mais mineiro do Brasil

A história da banda Novos Baianos

Este movimento teve início com a união de artistas baianos, no Festival de Música Popular Brasileira, promovido pela Rede Record e Globo e seu nome se deve ao fato de que a mídia definia o estado de espirito inconformado de Caetano e Gilberto associado às manifestações em outras áreas artísticas.

Características do Tropicalismo:

Este movimento trouxe transformação no cenário musical no final dos anos 60. As letras eram inovadoras e criativas, realizando jogos de linguagem. Uma maneira de ir contra a arte militante imposta ao regime daquela ocasião que estava estabelecido no país. As composições demonstravam o descontentamento e preocupação com a situação da cultura e da música brasileira.

Eles se manifestavam através das roupas coloridas, cabelos longos e influências musicais. A intenção principal era provocar, chamar atenção através de performance e protestar contra a música comportada, assim, eles abusavam das paródias e deboches.

Musicalmente, este movimento teve forte influência da cultura brega, do rock psicodélico, da música erudita e de outros gêneros.

Influências:

A década de 60, principalmente o final dela, foi marcada por grandes transformações, incluído as canções de protestos contra uma política ditatorial que manejava o Brasil. Uma destas mudanças ocorreu com o movimento tropicalista que consistia em deglutir todas as tendências da época, expressão a realidade dos músicos brasileiros.

A principal influência musical do movimento era a mistura rica de estilos que poderiam ir do erudito ao pop, criando uma identidade única, moderno e diferenciada. Assim, é possível perceber que a criatividade, a inteligência e o desejo interno de melhorar a situação do país em todos os aspectos eram ingredientes fundamentais dos tropicalistas.

Outra influência forte foi o Concretismo da década de 50, tratando as poesias das canções com jogos linguísticos e brincadeiras que retratavam a vontade dos cantores em dizer o que estava em suas mentes de uma forma menos tradicional e direta.

Ainda que o movimento fosse rico e lembrado até nos dias atuais, existiram diversas críticas, principalmente por parte daqueles que protestavam contra a ditadura de forma aberta. Ele era visto como algo vago e sem comprometimento político. Contudo, o objetivo principal desta manifestação não era promover através de suas músicas temas político-ideológico, e sim, regenerar a música popular brasileira.

Fim do Tropicalismo:

O fim ocorre com o show de encerramento da banda Os Mutantes com Caetano e Gil em 1968. Tudo aconteceu na boate carioca “Sucata”, onde ocorreu o incidente com a bandeira nacional que, supostamente, foi desrespeitada aos olhos dos militares. Na ocasião, durante o espetáculo, uma bandeira foi colocada no palco com a seguinte frase “Seja Marginal, Seja Herói”, com uma imagem do famoso traficante da época que foi morto pela polícia. Além disso, os militares alegaram que Caetano cantou o Hino Nacional com frases ofensivas às Forças Armadas. Assim, Caetano e Gil foram presos, encerrando as apresentações e, posteriormente soltos e exilados para o Reino Unido. Isso marcou o fim do Tropicalismo.

Entre os anos de 1969 e 1974, ocorreu o pós-tropicalismo, onde os músicos retornaram aos palcos levando um ar sombrio, trazendo em suas ações a tristeza, solidão, temáticas de mortes e o sentimento de derrota. Tais cantores sofreram frustrações dos seus sonhos de resistência, adotando uma postura hippie e alternativa.

E aí, você conhecia esta banda? Conhece alguma música deles? Então conte nos comentários colocando o nome da música, mas não vale pesquisar na internet.. rsss. E inscreva seu email para receber mais informações e novidades sobre o mundo música.



DEIXE UMA RESPOSTA

vinte − três =