Ao menos uma vez no ano, é preciso que empreendedores e gestores se reúnam para levantar informações sobre o mercado, a fim de utilizá-las como base para o desenvolvimento de ações pensadas de acordo com os dados encontrados. Uma das técnicas mais utilizadas por quem realiza esse estudo sobre o cenário em que atua e que oferece excelentes oportunidades de negócios é a chamada Matriz SWOT. Você já a conhece? Sabe o porquê de ela ser tão importante? Confira o post de hoje e aprenda mais sobre essa metodologia de sucesso!

O que é Matriz SWOT?

Também conhecida como Análise SWOT, essa matriz foi desenvolvida na Universidade de Stanford na década de 60 e, desde então, é umas das técnicas mais utilizadas pelas corporações em todo o mundo. O nome é uma sigla com as palavras Strenghts (Forças), Weaknesses (Fraquezas), Opportunities (Oportunidades) e Thereats (Ameaças).

Veja também:
O que é e para que serve o ciclo PDCA

Como aplicá-la?

Para utilizar a Matriz SWOT em um planejamento, é preciso voltar suas atenções para cada um dos elementos que compõem a sigla e buscar entender a realidade da empresa com base neles.

Isso é importante para que os gestores entendam quais questões eles têm o poder de alterar (ambiente interno) e quais não permitem este tipo de intervenção, mas que influenciam da mesma forma os resultados do empreendimento (ambiente externo). Vamos dar uma olhada no que precisa ser avaliado em cada elemento da matriz.

Strenghts (Forças)

Toda ação positiva que uma organização realiza internamente e que a beneficia de alguma forma pode ser identificada como uma de suas forças. Sobre elas, os gestores têm “voz ativa”, isto é, eles têm controle e são capazes de alterá-las. Como exemplo, podem ser citados o bom relacionamento com os clientes, sistemas de cobrança eficientes, produtos diferenciados, localização estratégica, dentre outros.

Weaknesses (Fraquezas)

As atividades internas de uma empresa que precisam ser aprimoradas por ainda não corresponderem ao nível de excelência desejado são nomeadas como “fraquezas”. Sobre elas os gestores têm poder de ação e, por isso, podem modifica-las com um bom plano de ação. Baixa qualificação profissional, falta de inovação tecnológica, escassez de matéria-prima e desintegração das equipes de trabalho são alguns dos problemas relacionados a essa área.

Opportunities (Oportunidades)

Qualquer atividade que aconteça no ambiente externo da organização, como a baixa de uma moeda comercial, a aprovação de uma lei, ou o barateamento da matéria prima, e que afete positivamente os negócios é identificada como “oportunidade”. Sobre elas, as empresas não têm nenhum domínio, mas se investigadas na Análise SWOT, poderão ser previstas e utilizadas estrategicamente no empreendimento.

Threats (Ameaças)

Quando um concorrente adentra o segmento de sua empresa, um novo produto é apresentado com uma tecnologia mais funcional ou até mesmo quando acontece algum fenômeno natural, por exemplo, a organização se vê ameaçada por fatores externos ao seu controle e poder de alteração. Mas, assim como as oportunidades, se elas forem previstas poderão causar menos impacto no empreendimento.

É importante ressaltar que para todas as questões identificadas nessas quatro áreas é necessário o desenvolvimento de um plano de ação para reforçá-las, modificá-las ou combatê-las.

Por que é importante realizar a Análise SWOT?

Como dito inicialmente, sem planejamento é impossível conquistar bons resultados. E mesmo que ele seja realizado, mas não seja baseado no cenário real no qual a empresa está inserida, seus resultados serão diferentes dos esperados. É aí que a realização de uma Matriz SWOT entra: com ela, será possível identificar quais são os melhores direcionamentos para a organização.

Agora que você já sabe o que é uma Matriz SWOT e o que fazer para aplicá-la, faça um primeiro exercício: use a análise SWOT na sua empresa e conte para gente nos comentários quais fraquezas, forças, oportunidades e ameaças identificou.

investidor de sucesso - investir em fundos imobiliarios



DEIXE UMA RESPOSTA

2 × um =