Em um artigo anterior falamos sobre como se prevenir contra a doença de Alzheimer. Entendemos que, de forma geral, o que se aplica à prevenção da doença pode se aplicar ao seu tratamento. Vamos aprender, agora, como tratar – e se prevenir contra – a doença de Parkinson naturalmente.

A doença de Parkinson (que já foi conhecida como mal de Parkinson) é uma doença crônica e progressiva (o que significa que ela vai piorando com o tempo) e sem cura. Embora suas causas não sejam completamente conhecidas, sabe-se que essa doença está relacionada com o mau funcionamento e a morte de células nervosas vitais no cérebro, que controlam o movimento e a coordenação. É por isso que, com o progresso da doença, as pessoas afetadas por ela perdem o controle normal dos movimentos, podendo ficar inválidas.

Há vários tratamento medicamentos e cirúrgicos recomendados para a doença, mas, que tal conhecer alguns tratamentos naturais, mais baratos e práticos?

Curta a Proddigital Saúde no Facebook >>>

Trate a doença de Parkinson naturalmente

  • Cafeína

O consumo de cafeína está relacionado com a prevenção contra a doença de Parkinson, mas e se você já tiver esse problema? Um estudo recente descobriu que tomar o equivalente a cerca de duas xícaras de café por dia pode melhorar os sintomas da doença significativamente.

  • Cafeína x remédios

Preladenat e Istradefylline são remédios usados para tratar a doença de Parkinson. Esses remédios consistem basicamente de cafeína (e mais algumas coisinhas extras, que foram adicionadas para que os remédios pudessem ser patenteados, e para que as empresas possam cobrar caro por eles, já que ninguém pode pedir uma fortuna em troca de puro e simples café). Os remédios em questão não parecem não funcionar melhor do que o café puro, o que é bem mais barato e provavelmente mais seguro.

  • Frutas, legumes, vegetais

Da mesma forma, certas plantas, como morango, framboesa, uva, abacate, tomate, etc. e dietas a base de plantas em geral podem ajudar a prevenir a doença de Parkinson. Evitar derivados do leite também é importante. Isso pode ser parcialmente explicado pelos poluentes que as carnes e os derivados do leite possuem, mas pode ser também por causa dos fitonutrientes protetores que as saudáveis plantas que comemos têm.

Há casos de pessoas com Parkinson que se livraram da maioria dos seus sintomas com uma dieta a base de plantas, rica em morangos, pão e arroz integrais (alimentos ricos em N-hexacosanol e fisetina).

Veja também:

8 alimentos para plantar em casa e ter uma Alimentação Mais Saudável

  • Interromper o consumo de carne

Em sua origem, a doença de Parkinson é uma deficiência de dopamina que ocorre por causa da morte de células que geram dopamina no cérebro. Essas células produzem dopamina de um L-dopa que vem de um aminoácido da nossa dieta. O consumo de produtos de origem animal faz com que o transporte de L-dopa no cérebro seja bloqueado. Com esse conhecimento, alguns pesquisadores primeiro tentaram fazer uma “dieta de proteína redistribuída”. Neste caso, as pessoas só poderiam comer carne no jantar, de forma que os pacientes deveriam estar dormindo quando os efeitos negativos da proteína animal batessem.

Os pesquisadores não consideraram cortar todos os produtos animais de uma vez até descobrirem que o consumo de fibras aumenta naturalmente os níveis de L-dopa. Sendo assim, é esperado que uma dieta a base de plantas aumente a biodisponibilidade de levadopa e traga algumas vantagens para o controle da doença através de dois mecanismos: redução do consumo de proteína animal e aumento do consumo de fibras. Este é o motivo por que a proteína da planta é melhor: é nela que as fibras são encontradas. Então os pesquisadores colocaram as pessoas numa dieta vegana, recomendando que comecem leguminosas (grãos), e, no fim das contas, de fato perceberam uma melhora significativa dos sintomas.

Veja também:

10 maneiras de obter proteínas sem comer carne

Quinoa: A proteína poderosa para a saúde

Ao que parece, um tratamento natural para a doença de Parkinson pode ser tão simples quanto ingerir café e mudar sua dieta, aumentando o consumo de produtos naturais e diminuindo o consumo de carne.

Que tal começar a se cuidar agora ingerindo alimentos saudáveis e não se esquecendo de praticar exercícios físicos. Saiba como ter uma atividade física e alimentação saudável.

Comente aqui sobre o que você está fazendo para evitar essa doença.



DEIXE UMA RESPOSTA

18 − oito =