Renato Muoio
Imagem: Divulgação/Renato Muoio

Turfe é o nome do esporte que promove e incentiva corridas entre cavalos. A forma mais comum desse esporte teve origem no Reino Unido, onde atualmente é um dos esportes mais tradicionais. Para mais, o turfe envolve o treinamento do cavalo, competição e apostas. Em pesquisa sobre a origem da palavra Turfe, descobrimos que ela vem do inglês “turf”, que designava os primeiros eventos de corrida de cavalos. Hoje, na Inglaterra, a palavra é usada de maneira informal para as famosas corridas de cavalos.

O turfe chegou no Brasil no século XIX; os primeiros registros do esporte em solo nacional são da mesma época da chegada da Família Real Portuguesa ao Brasil. Os ingleses que chegaram no nosso País acompanhando a Corte Portuguesa, em 1808, trouxeram o hábito na época já comum na Europa para a cidade do Rio de Janeiro. Desde então, o esporte vive momentos de mais ou menos popularidade. Atualmente, grandes nomes se evidenciam no cenário que carece de empresários dedicados e dispostos a investir na sofisticada modalidade.

Renato Bonfiglioli Muoio
Imagem: Divulgação/Renato Muoio

Renato Bonfiglioli Muoio é natural de São Paulo e tem se destacado como um dos principais investidores do turfe paulista. Apaixonado por animais desde muito pequeno, o jovem tem investido no esporte e conquistado bons resultados. O investidor tem seu próprio Stud no Jockey Club de São Paulo: o Nova Glória; local onde diversos cavalos da raça Puro Sangue Inglês são cuidados e treinados.

A raça Puro Sangue Inglês é a espécie mais tradicional e campeã no esporte há mais de 200 anos. Esses cavalos têm a capacidade de ultrapassar o limite de 60 km/h; além disso, essa raça detém o recorde de velocidade já registrado. No ano de 2008, um cavalo Puro Sangue Inglês, chamado Winning Brew, alcançou a marca de 70,76 km/h.

Renato Muoio conta para a equipe um pouco sobre como funcionam as premiações. “Os prêmios no turfe são dados aos proprietários e criadores dos cavalos que vencem a corrida. Obviamente, o treinador do animal e o jóquei – atleta que monta no cavalo – também recebem uma premiação”, destaca o investidor, que segue falando sobre as premiações e suas conquistas.

“As corridas são classificadas por categoria. Existem os páreos “normais” e as “provas clássicas”. O sonho de qualquer turfista é ganhar uma prova clássica. Já tive o imenso prazer de ganhar algumas provas bem importantes; entre elas, o Grande Prêmio José Bonifácio Coutinho Nogueira. Tive essa conquista com a minha primeira égua clássica (Fugazi). No ano de 2019, também tive a honra de ter um potro invicto em São Paulo, na pista de areia. Keep Down é o nome dele e decidimos o exportar para o Uruguai, onde mantemos a campanha no País vizinho”, detalha Renato Muoio.

Para conhecer um pouco do trabalho do jovem empresário e entender um pouco sobre o esporte turfe, siga a página @renatobmuoio no Instagram.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here