O que é o hipogonadismo masculino – por Dr. Glauco Guedes
Imagem: Divulgação

Normalmente depois dos 30 anos, acontece com os homens uma lenta diminuição dos níveis de testosterona – principal hormônio masculino – e, conforme o envelhecimento, é desencadeado o que na medicina é chamado hipogonadismo masculino, ocorrente em cerca 20% dos homens.

Hipogonadismo masculino é uma doença na qual as gônadas – testículos – não produzem quantidades adequadas de hormônios sexuais, provocando, sobretudo a diminuição do desejo sexual.

Os principais sintomas dessa doença são:

– diminuição do desejo sexual;

– irritabilidade;

– aumento da gordura abdominal;

diminuição da ereção matinal;

– diminuição da massa e força musculares;

– redução da disposição para a realização de atividade física e outras atividades rotineiras.

Ou seja, a presença dos sintomas citados acima, acompanhados da redução da testosterona, sinaliza o hipogonadismo masculino. No entanto, o diagnostico preciso só pode ser realizado por médico especialista.

Tratamento

Depois de descartadas outras causas de hipogonadismo secundário, como hiperprolactinemia e tumores, é normalmente indicado a realização de reposição hormonal – da testosterona – em doses fisiológicas. A prescrição só pode ser realizada por um médico e deve ser feita com suporte de análise individualizada. Para mais, a prescrição só é realizada para homens a quem as indicações clínicas e laboratoriais se façam funcionais e necessárias.

“O tratamento precisa ser realizado de maneira cautelosa e com suporte de exames clínicos e laboratoriais. Ainda sim, o tratamento deve ser monitorado periodicamente de forma cautelosa, buscando o bem-estar do paciente e os melhores resultados. Em geral, os pacientes apresentam resultados extremamente positivos ao tratamento. Os ganhos estão relacionados a uma vida sexual mais satisfatória e ao bem-estar de forma mais ampla”, fala o médico Urologista Dr. Glauco Guedes.

Causas

Existem diversas causas para a ocorrência do hipogonadismo. No entanto, em homens adultos, o motivo mais frequente está relacionado a obesidade, que reverbera negativamente na função da hipófise e dos testículos.

Pancadas ou infecções nos testículos, como a caxumba, são também outras causas comuns. Há a ocorrência da doença devido ao uso de medicamentos lícitos (como por exemplo agentes quimioterápicos ou medicamentos para dor que contenham opioides) e ilícitos podem afetar a função das gônadas.

Distúrbios hormonais não tratados ou tratados de forma errônea, como o hipotireoidismo, também podem levar ao hipogonadismo.

Já do ponto de vista de causas congênitas (genéticas), a síndrome de Klinefelter é a causa mais comum em homens.

“Também existem as causas menos comuns que provocam o hipogonadismo masculino, como doenças autoimunes. Trata-se de doenças em que o nosso sistema de defesa produz anticorpos que passam a atacar o próprio organismo; atacando também órgãos como os testículos.  Doenças crônicas podem da mesma forma levar ao hipogonadismo” – detalha Dr. Glauco Guedes.

Artigo por Dr. Glauco Guedes

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here