Twitter

O Twitter anunciou, através do seu fundador Jack Dorsey, que vai acabar com os anúncios políticos que até agora eram possíveis de realizar.

A motivação desta alteração surge com a empresa acreditando que são os usuários que devem decidir se querem seguir alguém relacionado à política. Sendo que pagar para ganhar esse alcance de usuários remove essa decisão.

Esta medida surge devido aos recentes casos polêmicos que têm motivado investigações após eleições em vários países.

Entre os mais notórios encontram-se as acusações contra a empresa Cambridge Analytica, devido a esta supostamente ter utilizado o Facebook para influenciar os eleitores a votarem em um candidato pré-selecionado.

Existem motivos para acreditar que tal aconteceu nas Eleições Presidenciais dos Estados Unidos da América, sendo que com novas eleições a se aproximarem em 2020 estão a ser realizadas medidas para prevenir que o mesmo se suceda.

Por meio da otimização de mensagens políticas direcionada a um certo tipo de usuário é possível alterar as suas convicções, sendo uma dessas o voto em eleições.

Lembre-se que o Twitter é a rede social mais utilizada por políticos e membros de governos.

Foi por meio de vários tweets que a medida foi apresentada e entra em vigor já no próximo dia 22 de Novembro. A plataforma defende que as mensagens políticas devem ser merecidas e obter sucesso devido à sua veracidade.

Então, uma mensagem com uma importância tão grande não deve ser comprada.

Contudo, atenção pois esta medida não vai proibir tweets sobre política, mas sim publicidade paga sobre política, onde é a persuadição do eleitor é tentada.

Entretanto a medida ainda terá algumas exceções. Ainda vai ser possível realizar anúncios com mensagens políticas desde que estes sejam para chamar os eleitores a votar e não para tentar ganhar votos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

1 × um =