Em uma banda, normalmente o destaque maior é do vocalista, mas é praticamente inegável que as grandes estrelas normalmente são os caras que estão por trás das cordas, criando solos memoráveis e dando sentido à maioria dos refrãos. E isso não é exagero: o que seria de Axl Rose sem Slash, o que seria de Ian Gillan sem Ritchie Blackmore? De Robert Plant sem Jimmy Page? De Ozzy Osbourne sem Tommy Iommi ou Randy Roads ou Zack Wylde? Isso sem falar, obviamente, de um dos maiores exemplos de bandas feitas de grandes guitarristas: o AC/DC, que muitas pessoas confundem Brian Johnson com Bon Scott, mas todos sabem quem é Angus Young ou o guitarrista frenético com uniforme escolar.

As notas que dão sentido à música

A verdade é que a guitarra é um instrumento mágico e quando bem tocada, ela pode levar o ouvinte a outra dimensão. Não que seja preciso citar exemplos disso, mas quem assistiu a apresentação de Jimi Hendrix em Woodstock entende o que isso quer dizer.

Em um período mágico, uma guitarra pode estar fazendo um ritmo comum, que serve como berço para o vocalista cantar o que a música precisa dizer, mas, de repente, este instrumento cresce, se tornando quase explosivo, criando solos que marcam o ouvinte e praticamente servem para gritar aquilo que o vocalista estava antes cantando.

Isso, é claro, sem mencionar os riffs, que apenas ao começarem a ser tocados já levam o público ao delírio. Essa sensação, quem já foi em um grande show, com a apresentação de uma música clássica com uma introdução matadora na guitarra, sabe do que eu estou falando.

É claro que a profissão de músico não oferece um retorno financeiro assim tão interessante. Salvo algumas raríssimas exceções, a verdade é que grandes músicos não são reconhecidos tais como deveriam ser. Prova disso, por exemplo, é Magicá Slim, um dos maiores nomes do Delta Blues dos anos 70, que desapareceu e então foi redescoberto em 2001 tocando no metrô de Nova York atrás de alguns trocados. Porém, ainda assim, o prazer de tocar uma guitarra, de fazer um solo que sempre gostamos de ouvir, e de executar um riff que alguém pede para nós tocarmos, é uma sensação surpreendente.

Acessórios para personalizar o seu estilo

Ainda existe um outro detalhe importante na guitarra: a possibilidade de deixar um som com a sua cara. Através dos pedais de efeito, você consegue trabalhar ritmos de uma maneira mais pessoal, combinando efeitos à procura do som ideal. Um dos maiores exemplos disso é o que Jimi Hendrix fez em Voodoo Child, ao combinar o Wah Wah com o Distortion, efeito amplamente copiado até hoje por grandes guitarristas, como o próprio Kirk Hammet.

Mas, para chegar a esse nível, é preciso experiência. Essa experiência você terá tocando. Portanto, a dica que damos é começar a fazer o quanto antes suas aulas de música. Pode ser um curso de guitarra online. Com ele, você aprenderá o necessário para entrar no mundo da música.

E aí, você é fã de guitarra? Mostra nos comentários abaixo o que você sabe tocar na guitarra.

OFERTAS DE FINAL DE ANO
3x de R$ 106,00 sem juros


4x de R$ 104,75 sem juros


De: R$ 289 Por: R$ 229



2x de R$ 59,50 sem juros


De: R$ 369 Por: R$ 179,90


De: R$ 15,5 Por: R$ 9,90




4 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

5 × três =