Muitas mulheres não sabem quais são os principais sintomas de gravidez, e muitas vezes acham que estão grávidas, mas na verdade não estão. Nesta matéria vamos indicar-lhe quais os principais sintomas e alterações que surgem no corpo da mulher durante o início da gravidez.

Principais sintomas de gravidez

Os primeiros sintomas de gravidez são importantes sinais de alerta para a futura mamãe, pois fazem com que a mesma procure logo um dos métodos para o diagnóstico, seja através do exame de sangue ou do simples teste de gravidez de farmácia (embora o primeiro seja mais viável).

Saber de antemão que está grávida é essencial para que a mulher inicie o seu seguimento pré-natal o mais cedo possível. As mulheres que ficam sabendo da gravidez nas primeiras semanas podem tomar medidas que beneficiam o feto, tais como:

  • Controlar os níveis de glicose no sangue
  • Melhorar a sua dieta
  • Usar suplementos (como ácido fólico e ferro)
  • Vigiar a pressão arterial
  • Tratar infeções precocemente
  • Evitar o consumo de álcool ou drogas potencialmente nocivas ao bebê no primeiro trimestre de gestação

Os primeiros sintomas de gravidez são os seguintes:

1 – Sangramento vaginal

Uma vez que o óvulo é fecundado por um espermatozoide, o embrião percorre as trompas e se implanta na parede do útero no máximo entre 6 a 12 dias. Esta implantação pode causar um pequeno sangramento uterino, que muitas vezes é confundido com a menstruação.

Como esse sangramento costuma ocorrer próximo ao período em que a menstruação é esperada, algumas mulheres o tratam como uma menstruação que veio fraca e nem desconfiam que este é o primeiro sintoma de gravidez.

2 – Cólicas ou dores abdominais

Além de um sangramento leve, a gravidez inicial pode causar algum desconforto na parte inferior do abdômen, às vezes, uma sensação de inchaço na barriga, sendo em muito semelhante aos sintomas que surgem antes da menstruação, mais vulgarmente conhecida por TPM.

Durante a gravidez, o útero sofre alterações constantes, inclusive de tamanho, o que estimula o aparecimento de algumas contrações uterinas, sentidas pela mulher como cólicas. É comum também uma sensação de peso na parte inferior do ventre.

Estes incômodos e cólicas que ocorrem no início da gravidez, quando associados a um sangramento vaginal, na maioria dos casos enganam as grávidas, pois estas pensam que é a menstruação e não um dos primeiros sintomas de gravidez que começam a surgir.

3 – Atraso menstrual

O atraso da menstruação é o sinal clássico de gravidez. É geralmente o sinal que faz com que a mulher procure fazer um teste para saber se estão efetivamente grávidas. No entanto, nem todas as mulheres conseguem utilizar este método como sintoma de gravidez, uma vez que têm ciclos menstruais muito irregulares, tendo muitas vezes períodos de 1 ou 2 meses sem ocorrência de menstruação.

É importante ressaltar que a menstruação pode atrasar por vários outros motivos que não uma gravidez, dos quais podemos salientar:

  • Estresse
  • Infeções
  • Troca de método anticoncecional
  • Alterações de peso
  • Cansaço
  • Expectativa

4 – Aumento do peito

Outro sinal bem típico de gravidez é o aumento do peito e o mesmo pode surgir com apenas uma ou duas semanas de gestação. Além de maiores, as grávidas podem sentir os seios mais sensíveis e com sensação de inchaço. Às vezes, o simples ato de tocar nos seios ou vestir o sutiã torna-se incômodo.

O aumento dos seios ocorre por alterações hormonais que promovem a estimulação das glândulas mamárias, preparando-as para o período de amamentação que virá nos próximos meses. Em algumas mulheres, estas alterações ocorrem precocemente, enquanto outras só notam alterações após árias semanas de gravidez.

Além do aumento de volume e da dor, os hormônios produzidos na gravidez fazem com que o peito das grávidas mudem de aparência. É comum haver escurecimento dos mamilos e aparecimento de veias ao redor dos seios. Estas alterações duram até o fim da amamentação.

Veja também:

Saúde – 8 erros que você comete diariamente e nem sabe

Como acabar com a celulite em 6 passos simples

Como Melhorar o aspeto da sua Pele

Dia Internacional da Mulher – 8 de Março

5 – Náuseas e vómitos

As náuseas e vômitos da gravidez costumam surgir por norma a partir da 6ª semana e dura até no máximo a 12ª semana de gestação. No entanto, há mulheres que apresentam estes sintomas de gravidez logo no início (4ª ou 5ª semana).

É importante salientar que as náuseas e vômitos são sintomas típicos do primeiro trimestre de gravidez e tendem a desparecer no início do segundo trimestre.

6 – Cansaço e sono em demasia

Uma sensação de cansaço desproporcional às suas atividades diárias são sintomas de gravidez muito comum na maioria das mulheres. Esta fadiga pode surgir com apenas uma semana de gestação.

É também muito comum o aumento do sono, sendo que o seu corpo dá sinais de que precisa descansar com mais frequência. Você pode começar a querer ir para a cama mais cedo e ter mais dificuldade do que o habitual para acordar pela manhã. Durante o dia, uma boa soneca parece ser tudo o que você mais deseja.

Estes sintomas ocorrem por alterações hormonais, principalmente da progesterona que age diretamente nos sistemas nervoso central e nos sistemas respiratórios e cardiovascular. O cansaço também é um sintoma do início da gravidez que habitualmente desaparece no segundo trimestre, mas ele retorna no final da gravidez, quando o bebê já encontra-se grande e pesado.

7 – Desejo por certas comidas

O desejo por certas comidas nas primeiras semanas de gestação é um dos sintomas mais comuns da gravidez. Do mesmo modo que surgem desejos, as grávidas também podem apresentar uma antipatia gigante a certas comidas e/ou cheiros.

8 – Problemas com odores

Assim como alguns alimentos causam enjoos nas primeiras semanas de gravidez, odores intensos, mesmo que agradáveis, como os de perfumes ou comidas, podem fazer você se sentir enjoada e maldisposta. Odores ruins ou muito fortes, como fumo de cigarro, gasolina, álcool ou produtos de limpeza, causam o mesmo efeito.

Um sintoma de gravidez é uma maior sensibilidade do olfato. A gestante refere a sensação de ter desenvolvido um super olfato. Odores que passavam despercebidos ou não incomodavam, agora se tornam insuportáveis.

9 – Variações constantes de humor

Outro sintoma de gravidez que todo mundo já conhece é a alteração constante de humor. A grávida pode estar super bem e feliz, mas de repente começa a chorar compulsivamente sem ninguém entender o motivo.

10 – Aparecimento de acne

Alterações hormonais podem fazer com que algumas grávidas desenvolvam acne ou apresentem agravamento da acne que já tinham anteriormente. No sexo feminino, acne está muito relacionada aos hormônios sexuais, que provocam aumento da oleosidade da pele. A acne na gravidez pode ser leve ou grave e pode surgir em qualquer momento da gestação. Nesta fase da sua vida deve consultar um médico especializado, pois existem muitos medicamente que você não vai poder tomar.

O que comer durante a gravidez?

Depois de lhe explicarmos quais são os primeiros sintomas de gravidez, vamos dar-lhe também umas dicas do que deve comer durante o primeiro trimestre de gestão.

Na gravidez é ainda mais importante cuidar da sua dieta e manter uma alimentação variada e equilibrada, pois é através de si que o seu filho recebe aquilo de que necessita para crescer e se desenvolver. Mas não precisa de comer por dois! Coma com qualidade e não em quantidade! A quantidade de alimentos que você vai comer vai depender em grande parte dos enjoos que tem no primeiro trimestre.

Deve alimentar-se várias vezes ao dia e pouco de cada vez (no mínimo 6 vezes por dia), procurando fazer refeições pequenas a intervalos regulares. Deve também beber pelo menos 1,5 litros de água para se manter hidratada.

Existem 3 cuidados que deve ter com os alimentos sendo eles:

  • Lave muito bem os alimentos que comer crus (para evitar ingerir micro organismos que possam ser nocivos para o feto)
  • Prepare e cozinhe os alimentos de forma simples
  • Retire sempre a gordura visível da carne e evite as partes queimadas

É importante também que tenha cuidado com alguns alimentos em especifico, e se conseguir evite comê-los durante o período da gravidez, começando logo assim que tiver os primeiros sintomas de gravidez.

  • Doces e bolos.
  • Café, chá, álcool, bebidas com gás e sumos artificiais.
  • Mariscos e frutos do mar (devido ao possível risco de intoxicação alimentar).
  • Peixes que podem conter níveis elevados de mercúrio (atum, peixe-espada, carapau, entre outros).
  • Carne mal passada (devido ao risco de contaminação por salmonela e toxoplasmose, ambas infeções perigosas para o bebé).
  • Salsichas cruas (devem ser sempre bem cozinhadas).
  • Ovos crus, doces ou molhos feitos com gemas a cru (devido ao risco de contaminação por salmonela).
  • Queijo fresco de leite não pasteurizado (devido ao risco de contaminação por brucelose).
  • Sumos frescos de fruta que não tenham sido preparados por você.
  • Reduza o uso de condimentos e sal.
  • Suplementos alimentares, a não ser que sejam recomendados pelo seu médico.

Veja também:

8 Alimentos que afinal fazem bem para a saúde

15 truques que você não sabia sobre Perder Peso

Benefícios do azeite de oliva para a saúde

5 comportamentos que podem estar matando o seu cérebro

Verdades e mitos sobre o que pode ou não comer durante a gravidez

1 – Devo substituir o açúcar por adoçante –  MITO 

Evite os adoçantes à base de sacarina e ciclamato. Apesar de não estar comprovado cientificamente sobre o efeito nefasto em fetos, já foi demonstrado em ratos que estas substâncias são cancerígenas. Por isso, mais vale prevenir, até porque os pode substituir por outros adoçantes teoricamente mais seguros, ou manter o açúcar mas em doses mais reduzidas.

2 – Posso comer mel sem preocupação –  VERDADE 

Não tem problema nenhum ingerir mel enquanto estiver grávida, a menos se tiver alguma patologia gastrointestinal.

O botulismo é uma doença muito rara nos adultos, uma vez que a flora intestinal não permite a passagem dos esporos causadores desta doença para a corrente sanguínea (por isso é que se fala da exceção de alguém que tenha uma patologia ao nível do intestino).

Mas atenção, pois não deve dar mel ao seu filho enquanto este tiver menos de 1 ano, nem para adoçar o leite. O intestino das crianças ainda não está totalmente maturado, daí que os esporos da bactéria consigam ultrapassar a barreira intestinal até à corrente sanguínea, causando o botulismo, podendo até levar à morte da criança.

3 – Deve evitar carnes mal passadas? –  VERDADE 

Existe o risco de transmissão de um parasita que provoca toxoplasmose, através da carne mal passada. Se não é imune não arrisque e evite ingerir pratos com carne mal passada.

Tenha cuidado para não ingerir nenhum alimento que tenha estado em contato com carne crua ou mal passada, pois pode ter ocorrido uma contaminação cruzada.

4 – Não posso comer marisco? –  MITO 

O perigo está na ingestão de mariscos ou frutos do mar crus, que podem causar infeções, mas se forem bem cozinhados, a altas temperaturas são seguros e você pode comer sem problemas. Evite as ostras e os mexilhões crus.

5 – Devo evitar peixe cru? –  VERDADE 

Evite comer peixe cru, pois pode estar contaminado por bactérias e parasitas prejudiciais ao desenvolvimento do seu bebê.

Nesta mesma ideia, não coma o sushi, por causa do peixe cru. Mas se adora comida japonesa e não aguenta a vontade, escolha aquelas peças com peixe cozinhado!

Nos peixes também tem de ter em atenção que alguns deles podem conter metilmercúrio. Se não sabe se há risco do peixe estar contaminado com esse metal, prefira sempre os peixes gordos (exemplo: atum, sardinha e salmão), porque as doses de metal são menores, além de serem ricos em ómega 3 – ácido gordo muito vantajoso para o desenvolvimento do seu bebé.

6 – Posso consumir fígado sem problema? –  MITO 

Apesar de o fígado ser um alimento rico em ferro, é errado o conceito que deve ingerir em grande quantidade na gravidez. O consumo de fígado deve ser moderado, pois contém muita vitamina A, que em excesso pode ser tóxica, por isso aos primeiros sintomas de gravidez reduza o consumo deste alimento.

7 – Não devo comer chocolate ou beber chá, café e refrigerantes? –  MITO 

Todos estes alimentos têm em comum a presença de cafeína na sua composição.

Vários estudos foram realizados na tentativa de detetar os efeitos do consumo de cafeína pela grávida na saúde do feto, entre eles o risco de baixo peso ao nascer e prematuridade. Na análise dos resultados destes estudos, concluiu-se que a cafeína não é proibida na gravidez, desde que não ultrapasse os 300 mg por dia.

Como as quantidades de cafeína presentes em cada alimento ou bebida podem variar muito e para ter uma ideia geral, 300mg de cafeína correspondem a aproximadamente 2 cafés expresso por dia.

Se não quiser contabilizar a quantidade de cafeína que vai ingerir, deve:

  • Evitar os refrigerantes tipo cola
  • Preferir os chás de ervas (tais como camomila e erva doce), em substituição do chá preto

Quanto ao chocolate, além da cafeína, é também muito calórico. Reserve-o para aqueles momentos em que a vontade é muito grande e impossível de substituir e não abuse!

Esperamos que esta matéria a ajude nos primeiros tempos de gravidez, sendo que abordamos os temas principais como quais os primeiros sintomas de gravidez, o que deve mudar na sua alimentação e desvendámos também alguns mitos que muitas mulheres têm sobre alimentação nesta fase tão importante da sua vida.

Se tiver qualquer questão nos contacte. Deixe seu email abaixo para receber mais dicas como essa. E curta nossa página no Facebook.



DEIXE UMA RESPOSTA

5 + 4 =