carteira de investimentos

Para todos aqueles que já investem há algum tempo, é muito importante desenvolver uma carteira de investimentos que lhes possibilite a criação um grupo de ativos que lhes permita diversificar os seus investimentos, diminuindo assim os riscos de investir num único tipo de ativo.

Curta a Proddigital Invest no Facebook >>>

O que é uma carteira de investimentos?

Uma carteira de investimentos é um grupo de ativos (ver artigo tipos de investimentos existentes no Brasil), que permite a diversificação de bens de riscos, permitindo assim uma maior tranquilidade ao investidor pois existe uma menor volatilidade do património. A gestão dos investimentos tem como é óbvio uma relação clara entre o risco e o retorno (por norma quanto maior é o risco, maior é o retorno), e cada tipo de investidor tem o seu próprio perfil que está relacionado com a sua personalidade.

Veja também:

Mundo dos investimentos: 5 dicas para ser um investidor

Investimentos em ações. Lucros e riscos

Como Operar Forex – Método Investidor de Sucesso

Os 5 livros sobre empreendedorismo que você precisa ler

No entanto, é possível diminuir o risco dos seus investimentos se optar por ter uma carteira de investimentos diversificados, que embora reduza o risco único não consegue diminuir o risco do próprio mercado. É importante você saber qual o efeito que cada título poderá ter na sua carteira de investimentos, e para tal precisa também de medir o risco do mercado de forma a avaliar a sensibilidade do mesmo às variações deste. Para medir esta sensibilidade é utilizado o índice beta (formula que lhe permite calcular o risco de um determinado investimento).

Como criar uma carteira de investimento?

Existem diversas entidades às quais pode recorrer para montar uma carteira de investimentos, tais como: bancos, corretoras e empresas de gestão. A utilização destas entidades é uma mais-valia para si, uma vez que estes estão cada vez mais especializados e que gerem por si os seus investimentos, de modo a obter um maior retorno para um determinado nível de risco.


A CVM e a IBOVESPA já dão um grande apoio no que respeita à classificação de fundos de investimento (Tipos de Fundos de Investimentos) de acordo com as suas estratégias e riscos, no entanto estes servem apenas para o orientar, não devendo ser tidos como verdade absoluta para todos os investidores (nem para todas as alturas dos investimentos).

As carteiras de investimentos podem ser divididas em várias maneiras, no entanto sugerimos algo deste género (é obvio que você pode fazer a sua carteira de investimentos como achar mais proveitoso):

  • Carteira agressiva:

– 40% ações;

– 50% multimercado;

– 10% renda fixa

  • Carteira moderada agressiva

– 20% ações;

– 50% multimercado;

– 20% renda fixa;

– 10% Referenciados DI

  • Carteira Moderada

– 10% ações;

– 55% multimercado;

– 20% renda fixa;

– 15% referenciado DI

  • Conservador

– 40% multimercado;

– 30% renda fixa;

– 30% referenciado DI

Estes exemplos são tal como dito anteriormente, uma sugestão, e não devem ser levados como uma verdade absoluta no que respeita às tipologias de carteiras de investimentos.

Antes de optar por criar uma carteira de investimentos consulte alguém que seja especializado (por exemplo uma corretora ou um banco) de forma a não correr riscos desnecessários.

E aí? Você gostou da nossa matéria? Dê-nos a sua opinião.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here