Na matéria File System falamos sobre o que são sistemas de arquivos e como é que eles funcionam, e indicamos que iriamos posteriormente falar dos diferentes sistemas que existem ou que já existiram. Os arquivos do tipo FAT, NTFS e EXT são os mais recorrentes, daí hoje irmos explicar o que são.

O que são os arquivos FAT, NTFS e EXT?

Estes tipos de arquivos (FAT, NTFS e EXT) são utilizados pelos diversos sistemas de computadores, de forma a organizar todos os dados numa determinada partição. Este tipo de arquivo pode ser:

  • FAT;
  • FAT32;
  • NTFS;
  • EXT3;
  • EXT4

Como você poderá ver de seguida, todos eles derivam uns dos outros, tendo sido criados por essa mesma ordem.

Veja também:

Tipos de Hackers – Diferentes técnicas de hacking

9 principais vantagens do Outlook.com

Oito produtos mais procurados para o Black Friday

Sistemas de arquivo FAT – O que são?

Os sistemas de arquivo FAT foram os primeiros a serem criados, e estão divididos em FAT e FAT 32. Vamos perceber as diferenças entre eles.

  • FAT

O FAT (sigla de File Allocation Table – Tabela de alocação de ficheiros) e foi criado para ser o sistema de ficheiros oficial do MS-DOS, e continuou a ser utilizado até o fim do uso deste sistema. Contudo, as principais versões do Windows na década de 90 mantiveram o DOS como núcleo do sistema, sendo que toda a parte visual era uma interface gráfica para o terminal de comandos.

Entre os sistemas que utilizavam essa configuração, podemos indicar o Windows 3.0, 95, 98 e ME. Somente os dois últimos trabalham com o FAT de 32 bits.

A tabela de alocação de ficheiros é um mapa de utilização do disco ou disquete, e graças a ele, o sistema operacional é capaz de saber exatamente onde um determinado ficheiro está armazenado.

O sistema FAT é considerado relativamente simples, e por isso é um formato popular para diversos tipos de discos.

  • FAT32

O Sistema de arquivos FAT32 é uma evolução do FAT convencional (também conhecido como FAT16). A sua primeira versão foi desenvolvida em 1980 para atender às necessidades daquela época. No início, trabalhava somente com 12 bits de endereçamento, valor que passou para 16 em 1987. Finalmente, no ano de 1996 passou a usar os 32 bits, versão que é utilizada até hoje.

O FAT32 foi implementado nos sistemas Windows 95 (OSR2), Windows 98 e Millennium e ainda possui compatibilidade com os sistemas Windows 2000 e Windows XP, que utilizam um sistema de arquivos mais modernos.

Sistemas de arquivo NTFS – O que são?

O NTFS (New Technology File System) é o sistema de arquivos padrão para o Windows NT e derivados.

O NTFS foi desenvolvido quando a Microsoft decidiu criar o Windows NT: como o WinNT deveria ser um sistema operacional mais completo e confiável, o FAT não servia como sistema de arquivos devido às suas limitações e falta de recursos.

Na época, o que a empresa de Bill Gates queria era apoderar-se de uma fatia do mercado ocupada pelo Unix. Anteriormente, ela já havia tentado fazer isso em parceria com a IBM, lançando o OS/2 – no entanto as duas empresas divergiam em certos pontos e acabaram quebrando a aliança.

O OS/2 usava o sistema de arquivos HPFS (High Performance File System – Sistema de Arquivos de Alta Performance), cujos conceitos acabaram servindo de base para o desenvolvimento do NTFS.

O NTFS possui uma estrutura que armazena as localizações de todos os arquivos e diretórios, incluindo os arquivos referentes ao próprio sistema de arquivos denominado MFT (Master File Table).

Sistemas de arquivo EXT – O que são?

Os arquivos EXT foram criados para o UNIX e acabaram por ser a base de criação dos sistemas operacionais do Linux (embora tenham existido sistemas de arquivo EXT e EXT2 não os vamos mencionar).

  • EXT3

O Ext3 (third extended filesystem) é um sistema de arquivos desenvolvido para o UNIX, que tira alguns recursos ao Ext2, dos quais o mais visível é o journaling ou diário. O sistema de arquivos ext3 é um sistema de arquivos com diário que é comumente usada pelo kernel Linux. É o padrão do sistema de arquivos para Linux, tendo sido fundida a linha principal do kernel do mesmo em novembro de 2001. Sua principal vantagem sobre ext2 é o journaling, que melhora a confiabilidade e elimina a necessidade de verificar o sistema de arquivos após um desligamento abrupto. Fui sucedido pelo EXT4.

  • EXT4

Em 28 de junho de 2006, Theodore Y. Ts’o propôs a bifurcação (fork) do desenvolvimento do Ext3. Esse passo foi necessário para atender às discussões em torno da evolução do mesmo.

Mingming Cao, dentre outros, citou a limitação desse sistema de arquivos devido ao uso de variáveis de 32 bits e indicou que já havia esforços para aumentar o tamanho daquelas variáveis para 48 bits.

O Ext4 foi incluído (marcado como “em desenvolvimento”) no Linux 2.6.19 . Em 11 de Outubro de 2008, os patches que marcam o ext4 como códigos estáveis foram mesclados em repositórios de código de fonte do Linux 2.6.28, que denota o fim da fase de desenvolvimento e recomenda a adoção do ext4.

Mathur, no “Ottawa Linux Symposium” de 2007, descreveu as principais características a serem implementadas no Ext4, e mostraram a razão de não desenvolverem um sistema de arquivos inteiramente novo pela compatibilidade com o Ext3, por causa de sua base já instalada.

Estes são os tipos de arquivos FAT, NTFS e EXT que foram mais importantes para o desenvolvimento da computação tal como a conhecemos hoje em dia.

E aí, você ficou com alguma dúvida sobre os tipos de arquivos (FAT, NTFS e EXT) existentes? Se precisar de alguma ajuda entre em contacto connosco.

curso de bateria online - bruno graveto
Bet9 Eurocopa 2016



DEIXE UMA RESPOSTA

4 × um =