Empresária Karol Palhares - (imagem: Divulgação)

Mesmo em cenários de crise, o mercado de beleza é o que mais cresce no Brasil. Trata-se de um dos poucos segmentos que está em crescimento mesmo com a recessão econômica dos últimos anos.

Observamos então, que pessoas estão cada vez mais preocupadas com saúde e estética. Nesse sentido, produtos e serviços de beleza que promovem também benefícios à saúde fazem ainda mais sucesso. A vaidade, que sempre foi importante para as mulheres, agora vem acompanhada de uma preocupação com bem-estar e qualidade de vida. Estamos diante de uma geração que não abre mão da saúde a favor da beleza. E empresas fora desse novo radar perdem mercado diariamente.

Um estudo publicado no ano de 2016 revelou que homens e mulheres do nosso País dedicam mais tempo aos cuidados de beleza do que a média mundial (o estudo foi realizado em mais de 20 países – em diversas regiões do planeta).

Segundo esse estudo, da empresa de pesquisa de mercado GFK – Growth from Knowledge – as brasileiras gastam em média 5,3 horas semanais a cuidados pessoais e de beleza, enquanto os homens consomem 3,5 horas por semana. A média dos outros países pesquisados é de 4,9 horas por semana para mulheres e 3,2 horas semanais para os homens.

Milhares de entrevistados de países como Argentina, Austrália, Bélgica, Brasil, Canadá, China, República Checa, França, Alemanha, Hong Kong, Itália, Japão, México, Rússia, Coréia do Sul, Reino Unido, EUA e outros com mais de 15 anos responderam a diversas perguntas sobre vaidade e cuidados pessoais.

Coerente com esse momento mundial e nacional estão marcas como a Cor de Praia – uma marca mineira que conseguiu desenvolver um procedimento com ativos 100% naturais e orgânicos para realizar bronzeamento artificial. O procedimento (Bronze Make) pode ser realizado nas unidades fixas, mas também por profissionais treinados e credenciados que fazem atendimento domiciliar – são esses microempreendedores que possuem o suporte e know-how do Cor de Praia.

“Há 10 anos, quando comecei o trabalho com o que hoje é conhecido no Brasil como a Cor de Praia, o “boom” dos serviços em casa não era nem cogitado, tampouco um bronzeamento! Meu grande objetivo era também promover um bronzeamento funcional e saudável. Foram dois insights que deram muito certo: o atendimento diferenciado e domiciliar somado aos cuidados com a pele. Com o tempo fui aprimorando todas as vertentes do negócio: abordagem, tecnologia, produtos, pigmentos, equipe e outros. Hoje, a Cor de Praia tem o maior ticket do mercado e por diversas vezes nossa agenda lota sem muitos esforços midiático ou de propaganda”, conta Karol Palhares – empresária e idealizadora da marca.

O Brasil se destaca no cenário mundial de consumo de cosméticos, sendo o 3º país do mundo, atrás apenas de EUA e Japão. Investir nesse segmento é extremamente promissor.

“Apesar de ser formada em estética, quando comecei a investir no mercado de bronzeamento saudável foi bem difícil, pois tudo parecia estar muito mais voltado ao resultado estético, sem cuidados e preocupações com saúde e meio-ambiente. Com muita dedicação chegamos em um produto vegano que garante um resultado impecável. Meu objetivo no momento é ver a Cor de Praia crescer, e para isso tenho dado oportunidade para microempreendedores da beleza, que querem se profissionalizar e crescer com investimento baixíssimo. É uma relação de ganha-ganha. Os lucros para os novos entrantes são em média de 70%, em um mercado que só cresce!”, destaca a jovem empreendedora.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui