Inteligência Artificial torna o esporte ainda mais artístico

Compartilhe:
reinvenção dos mascotes do futebol brasileiro Obadias Souza
Imagem: Instagram @obadiassouzadesign

A tecnologia, a criatividade e o esporte cada vez mais estão de mãos dadas. Tudo isto graças à Inteligência Artificial. Seja para criar relatórios dos jogadores ou de desempenho, este tipo de sistema funciona por meio de aprendizagem computacional e, assim, realiza tarefas que tipicamente requerem inteligência humana.

De um lado, estão sendo implementados os árbitros eletrônicos em modalidades como o tênis. Esta é uma opção que assegura resultados mais precisos de trabalho. Por outro lado, os sites de apostas esportivas também estão adotando esta nova tecnologia, sobretudo no que diz respeito à definição de odds, isto é, probabilidades seguras e transparentes que facilitam a tomada de decisão dos usuários no momento de apostar.

No entanto, a Inteligência Artificial vai mais além e tem se mostrado mais criativa do que o esperado. O brasileiro Obadias Souza é um reflexo disso, reinventando os mascotes de alguns dos principais clubes que participarão do Campeonato Brasileiro de 2023 por meio desta tecnologia.

A reinvenção dos mascotes do futebol brasileiro

Continue depois da publicidade

Acontecendo ao longo deste ano, o Campeonato Brasileiro de 2023 reúne alguns dos principais clubes do futebol nacional. Entre eles encontram-se Athletico, Corinthians, Fluminense e Palmeiras.

No entanto, na linha de frente destes times não estão apenas os jogadores e a equipe técnica. Os mascotes são uma parte essencial do seu sucesso, aproximando-os cada vez mais do público de todas as faixas etárias.

Pensando nisso, o designer brasileiro Obadias Souza, natural de Belém, deu uma nova dimensão à sua paixão pelo universo do futebol. Para isso, juntou a Inteligência Artificial às suas habilidades profissionais, transformando completamente os mascotes de 20 equipes.

O resultado foram mascotes transformados em super-heróis, alguns deles bem conhecidos dos brasileiros. Na sua inspiração para a escolha destas figuras consta a disputa que existe entre os clubes da série A.

Continue depois da publicidade

Livrando essas personagens da sua imagem mais tradicional, o designer dividiu o trabalho em diferentes etapas. Num primeiro momento, Obadias utilizou um programa de Inteligência Artificial operado no Discord (um meio de comunicação online). Por fim, editou as imagens no Photoshop, conferindo-lhes um aspecto ainda mais realista.

No entanto, esta não foi uma estreia para o artista. Obadias Souza já teve contato com a Inteligência Artificial em outros dos seus trabalhos com finalidade artística. Na verdade, o designer já tinha também repaginado os mascotes de clubes que participam dos campeonatos Paraibano e Paraense.

O futuro é da Inteligência Artificial?

Se você acha que a Inteligência Artificial só está presente no esporte de maneira artística, podemos dizer que não é bem assim. Nos dias de hoje, este tipo de tecnologia já é uma queridinha dos brasileiros. De acordo com a pesquisa “Avanços na cultura organizacional baseada em dados, analytics e IA”, desenvolvida pelo SAS e divulgada em 2022, o Brasil é o país da América Latina que mais utiliza estas ferramentas.

Por isso, não poderia ser diferente com a indústria dos esportes. Atualmente, a Inteligência Artificial pode ser transformadora para o futebol, da leitura de dados até a captação de talentos. No entanto, esta tendência é global e está em constante evolução. Com um futuro incerto, podemos esperar modalidades esportivas cada vez mais tecnológicas e eficientes.

Teremos o maior prazer em ouvir seus pensamentos

Deixe uma Comentário

Proddigital
Logo
Redefinir Senha
Publicidade
Nós usamos cookies e outras tecnologias, conforme nossa Política de Privacidade, para você ter a melhor experiência ao usar o nosso site. Ao continuar navegando, você concorda com essas condições.