2020 pode ser o ano do “pulo final” para o futebol paranaense?
Foto: athletico.com.br

Athletico e Coritiba são campeões brasileiros. Enquanto o Furacão vem de dois anos destacáveis e construiu uma estrutura que figura entre as melhores do país, o Coritiba volta para a Série A para provar que nunca deveria ter saído da elite. Mas em 2020 dá até para fazer mais: se firmar no topo do futebol nacional.

Claro que os dois têm preocupações neste começo de competição e, no caso do Coritiba, sair da Série B rumo aos primeiros seis ou oito times da Série A é complicado. Mas os “rivais” podem ajudar.

O ano começou de forma complicada para alguns clubes

O Flamengo é o time a ser batido no Brasil e há outras forças claras. Mas ninguém além do rubro-negro é soberano. E times de história e/ou que tiveram bons anos recentemente não estão em grande fase, para ser simpático.

O Cruzeiro é o exemplo mais óbvio. O time foi bicampeão brasileiro, bicampeão da Copa do Brasil antes de ter um 2019 pavoroso e cair de divisão. A “vaga” que eles ocupavam está aberta.

Os três times cariocas não chamados Flamengo também estão sofrendo. Salários atrasados, times sem muito talento e campanhas muito fracas no Brasileiro são comuns para Vasco, Botafogo e Fluminense. O começo de 2020 para os três não indica que os torcedores comemorarão muito.

O mesmo dá para dizer do Corinthians. Comandados por Tiago Nunes, que teve passagem muito vitoriosa pelo Athletico, o time quer mudar sua filosofia de jogo. Só que o começo está mais do que turbulento, com uma eliminação vexatória na Pré-Libertadores. O time era muito favorito para passar pelo Guarani do Paraguai na 1xbet e outras casas de apostas, mas acabou eliminado em casa.

Ou seja, dos chamados “12 grandes” – 4 de São Paulo, 4 do Rio, 2 de Minas e 2 do Rio Grande do Sul – pelo menos cinco não estão em posição de força neste momento.

Athletico e Coritiba podem aproveitar

O Athletico já aproveitou em 2018 e 2019, ganhando a Copa Sul-Americana e a Copa do Brasil, ganhando boas premiações e vendendo seus atletas por altas somas. O problema agora é provar que pode continuar.

As saídas para 2020 foram grandes: Rony, Bruno Guimarães, Leo Pereira, entre outros, não vestem mais a camisa do clube. Dorival Junior terá bastante trabalho, mas conta com um clube organizado e a estrutura de primeira. É mais fácil dessa forma que tendo que lidar com salários atrasados e um CT para preparação e condicionamento abaixo da crítica. O time ainda joga a Libertadores e começou a campanha derrotando o Peñarol, cinco vezes campeão da competição.

Já o Coritiba precisa dar passos pequenos por enquanto. A queda na Copa do Brasil foi um baque, mas o impacto financeiro de vender Yan Gomes pode ajudar na construção de uma fundação sólida no topo para os coxa-brancas.

Um bom exemplo de trabalho é o Bahia, que teve anos de quedas e ascensão e hoje se consolida na classe média do futebol brasileiro. Essa ascensão pode ser ajudada pela queda dos rivais, como dissemos.

Ao analisar os favoritos para a conquista do Brasileirão em casas como a 22bet, Athletico e Coritiba só devem aparecer no terceiro escalão. Mas não durma no ponto com as equipes do estado: elas podem crescer em um cenário de realinhamento de forças no futebol brasileiro. O Furacão já é uma realidade.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui